07 junho, 2008

A linguagem e seu campo

Por detrás do simbolismos das palavras estão as verdadeiras razões delas serem expressas. O grande problema que encontramos na comunicação é justamente o entendimento sobre as verdadeiras razões das palavras. Isso porque quando tratamos sobre as razões de nossas palavras, não estamos tratando de algo comum a todas as pessoas, por mais que as palavras sejam comuns, estamos falando de alguma coisa que se criou no campo particular, que diz respeito apenas a idéia própria do indivíduo que a pronunciou. As razões das palavras se constróem no amago de nossa mente, nos fins e nos confins de nossos pensamentos. E que além de conter o significado geral da palavra, somam também a nossa história, o que aprendemos com ela, e o nosso momento, todas as forças que nos influenciam no agora.
O que faz a expressão na comunicação não ser algo direto, sensato e claro, é justamente a particularidade que envolve todos os intantes da comunicação. Eu digo amor e essa palavra me recorda momentos que significam amor. Porém esses momentos não são os memos para todas as pessoas, dando ao amor um significado amplo e geral, indefinivel. As palavras se tornam algo nebuloso, espectral e único. Nebuloso por não ter uma identidade clara, não possuindo definição precisa. Espectral porque se faz ser vista e inteligivel, porém não o é da mesma forma que o idealizador a criou. E única porque o criador, apenas o criador, tem o domínio claro do que quis dizer.
Corrigir essas imperfeições é preciso e possível para vivermos em harmonia social. Não podemos nos contentar com nossas definições, nossas maneiras e nossos mundos. Isso porque não é apenas o nosso mundo que existe. Somos fruto de infinidade de confluencias. Não podemos simplesmente abandonar esse fato e dar como importante apenas o nosso tipo de pensamento. Somos muitos.

Rever, assumir, rever, assumir, rever, assumir.
Culpa de alguma coisa
Vontade em pensamento
Explosão de sentimento

Clarividência nas ações
Propriedade no julgamento
Como juiz ou acusado
Vamos vivendo assoitados

São memórias, são lembranças
Que carregamos como herança
Como um cargueiro sem porto
Até o dia do naufrágio

Convencendo, convencendo
O que já convencido
Endurecendo, endurecendo
O que já duro está
video

Um comentário:

moveiga disse...

...otimas e sabias palavras!
te mando um Pessoa...

"É fácil trocar as palavras,
Difícil é interpretar os silêncios!
É fácil caminhar lado a lado,
Difícil é saber como se encontrar!
É fácil beijar o rosto,
Difícil é chegar ao coração!
É fácil apertar as mãos,
Difícil é reter o calor!
É fácil sentir o amor,
Difícil é conter sua torrente!

Como é por dentro outra pessoa?
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.

Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição
De qualquer semelhança no fundo."

Fernando Pessoa